1ª FASE

A prova de conhecimentos gerais, a primeira fase do vestibular da Unesp, é composta por 20 questões de múltipla escolha com focos específicos em interpretação, gramática e literatura. Normalmente há a incidência de quatro textos: um texto para cada cinco questões. Para embasar as questões, a prova apresenta, além de textos literários, textos filosóficos e textos narrativos. Já houve provas em que caíram questões de interpretação de tirinhas, charges e quadrinhos. Além disso, há uma forte tendência para questões sobre figuras de linguagem (também acompanhadas de reflexões sobre vícios de linguagem) e semântica lexical (influência de uma palavra em seu contexto e a pluralidade de significações que esta pode adquirir).

A prova parece ter forte tendência à cobrança da gramática aplicada ao texto em questões que visam principalmente ao uso dos tempos verbais, classificações morfológicas, pronominalização e funções sintáticas dos termos e das orações, por vezes solicitando o conhecimento de nomenclaturas (sujeito, predicado, pronome relativo etc.). A principal intenção é verificar se o candidato tem domínio das organizações morfológicas e sintáticas de sua língua, se tem a capacidade de fazer alterações em uma oração sem lhe alterar o sentido. O candidato sempre poderá apoiar-se nos textos dados para as resoluções.

Para essa fase do vestibular da Unesp, o candidato deverá preparar-se sobretudo para questões que avaliem a sua capacidade de interpretar variados gêneros textuais. Na prova de 2014, por exemplo, das 20 questões, metade mostrava essa preocupação.

A prova apresenta um nível de dificuldade relativamente baixo, já que não são cobrados conceitos muito específicos das matérias. O assunto mais frequente é citologia abordando a função das organelas e os tipos celulares em que ocorrem, respiração, fotossíntese, síntese proteica, osmose e outros transportes de membrana.Ecologia está presente cobrando assuntos como biodigestão, interações ecológicas, pirâmides populacionais, cadeias alimentares, controle biológico de pragas, tratamento do lixo e sucessões ecológicas.Estudo e classificação dos reinos aparece assim como zoologia, principalmente, na forma de características específicas de cada grupo.Sobre evolução são requeridos os pressupostos e distinções entre as teorias Lamarckista e Darwinista, enquanto fisiologia tem como principal assunto as características básicas dos sistemas cardiovascular e respiratório e em genética é cobrando a análise do genótipo da prole de um cruzamento e conceitos amplos como de biotecnologia, bioética, clonagem e tipos de herança.

A prova de conhecimentos gerais de física da UNESP apresenta um nível de complexidade não muito elevado. Seu objetivo é selecionar candidatos a diversas áreas de interesse. É uma prova feita para todos os candidatos, não privilegiando os candidatos aos cursos de Exatas. Apresenta uma grande porcentagem de questões conceituais. Desde 2010, a UNESP mantém, em Física, uma tendência assim estruturada:

Cinemática – Movimento circular, queda livre e movimento uniforme associados à análise de gráficos tem sido a forma com que a Unesp aborda este assunto nos últimos anos. Representa cerca de 15% dos assuntos abordados.

Dinâmica – Alguns assuntos raramente têm caído, tal como plano inclinado e máquina de Atwood, entretanto Dinâmica é o assunto com maior incidência na primeira fase se considerarmos que é cobrada no meio de outras questões.

Trabalho e Potência mecânica – Assunto que tem sido retomado depois de passado anos sem ser cobrado.

Energia – Nos últimos três anos este assunto foi cobrado duas vezes, mudando a tendência anterior de não ser cobrado.

Impulso e Quantidade de movimento - Não foram cobradas questões abordando o assunto nos últimos 3 anos, embora nos anos anteriores questões sobre o tema tenham sido recorrentes.

Estática e Hidrostática – Pelo menos uma questão de hidrostática foi cobrada nos últimos três anos. Estática tem sido abordada de maneira mais simples, geralmente não envolvendo torque, apenas forças.

Termometria e calorimetria – Assunto que tem sido cobrado com frequência em todas as provas dos últimos anos.

Óptica - Formação e as características das imagens (real ou virtual, maior ou menor, invertida ou direita) conjugadas por espelhos e lentes esféricas são cobradas frequentemente na prova de física. Também temos que questões envolvendo refração da luz cobrando do candidato o traçado do caminho do raio de luz através de um meio (prisma, lente, gota de água) aparecem com certa frequência. Em questões deste tipo, pode surgir a possibilidade de o raio de luz sofrer uma reflexão total. Desta forma, o candidato deve atentar-se para as condições de ocorrência da reflexão total. Também é recomendado que o candidato lembre-se das anomalias da visão e suas possíveis correções pelas lentes. No ano internacional da Astronomia (2009) foi cobrada questão relacionada ao tema, por isso é possível que este ano, por ser comemorado 25 anos do telescópio espacial Hubble e o ano internacional da luz, sejam cobradas questões envolvendo não só ótica mas também estes temas.

Ondulatória - A incidência de fenômenos ondulatórios na prova de conhecimentos gerais da UNESP diminuiu consideravelmente, apesar de ser um assunto recorrente nas provas mais antigas.

Eletrodinâmica - Apenas uma questão foi cobrada em 2013.

Eletrostática - O tema não tem sido cobrado nos últimos anos.

Eletromagnetismo - No que tange ao Eletromagnetismo, a UNESP explora a interação entre uma partícula eletrizada e o campo magnético (força de Lorentz), principalmente o caso em que a partícula penetra perpendicularmente ao campo magnético. Força magnética em um condutor retilíneo também é uma boa pedida. Outra forte tendência na UNESP é o fenômeno da indução eletromagnética, onde o aluno deverá usar a Lei de Lenz para determinação do sentido da corrente elétrica induzida

A prova de Geografia de conhecimentos gerais do vestibular da Unesp, de nível de dificuldade médio, explora o domínio conceitual das temáticas abordadas e a localização espacial dos fenômenos apresentados. Predominam questões de Geografia do Brasil e tem-se buscado muito a interdisciplinaridade com outras ciências humanas.

Nas questões de Geografia os temas que mais tem sido destaques do vestibular são aqueles que partem do conhecimento da geografia física e compara estes conhecimentos com as estruturas humanas presentes no espaço geográfico. Em geral os temas da Geografia Física abordam a localização espacial de bacias hidrográficas, formações vegetais, aspectos climáticos, recursos naturais e atividades econômicas a eles associadas; Não podemos ignorar a incidência conceitual das estruturas do relevo e geomorfologia do Mundo e principalmente do Brasil. É visível as relações entre estes temas e as questões ambientais e cartográficas. Outros dois temas se destacam: Geografia Economia (comércio exterior; PIB associado a indicadores sociais e demografia; processo histórico de industrialização; disparidades regionais); Geografia Agrária (localização espacial das principais regiões produtoras da agroindústria - soja, café, laranja, algodão, gado; identificação da técnica de cultivo e vegetação nativa da região; consequências da estrutura fundiária). A maior parte destas questões exigiam do candidato a interpretação de textos, mapas, tabelas, gráficos ou figuras e apresentavam ou a resposta na própria pergunta ou as alternativas falsas com erros bem evidentes deixando a prova fácil.

As questões relacionadas à População/Social (demografia), Política (divisão macro-regiões) e geografia Urbana (consequências do crescimento desordenado das cidades) são tratadas de forma bastante conceitual e em geral estão associadas a questões amplas como exemplo a questão da malária no mundo associada a características climáticas globais.

As questões de Geografia Econômica Mundial abordam em geral temas como: o petróleo e as regiões produtoras e consumidoras deste hidrocarboneto; PIB associado a indicadores sociais; localização espacial de país e de bacias hidrográficas. A geofísica Mundial envolve questões que abordam os processos tectônicos; as formas de relevo; os processos erosivos; os tipos de clima, biomas e bacias hidrográficas. Vale lembrar que os elementos cartográficos têm caído com frequência nos vestibulares da Unesp, sendo escalas, projeções e fusos horários uma boa dica para o próximo vestibular. Vale ainda dizer que o ferramental cartográfico é sempre fundamental para a compreensão do espaço geográfico.

Portanto, no conjunto, a prova da Unesp é bastante conceitual e privilegia a leitura crítica e interpretação de textos, gráficos, tabelas, mapas e figuras, considerando ainda que, em geral a resposta das questões pode ser encontrada no enunciado.

A prova de conhecimentos gerais da UNESP é composta por 12 questões de História. As questões são dispostas de forma cronológica, alternando entre história geral e história do Brasil.

As questões de história privilegiam, antes de tudo, a leitura. Os textos selecionados para as questões variam entre documentos históricos e textos de historiografia, e são indispensáveis para a resolução das questões. Parte significativa das questões pode ser respondida baseada em critérios interpretativos, a partir de uma leitura cuidadosa e de elementos fornecidos pelo texto. No entanto, o domínio do conteúdo por parte do aluno é necessário e determinante para a resolução de parte das questões.

Considerando a importância da leitura atenta para o bom desempenho nessa prova, é fundamental que o aluno organize o tempo de modo a destinar tempo suficiente para a realização das questões de História. A leitura cuidadosa dos textos e das alternativas é fundamental e aumentará a chance de acerto do aluno.

A estrutura da prova segue um ordenamento cronológico, sendo as primeiras questões geralmente de pontos relativos à Antiguidade Clássica e, eventualmente, Antiguidade Oriental. É recorrente que um texto seja utilizado como base para mais de uma questão, sendo que geralmente a primeira questão pode ser resolvida a partir da intepretação e a segunda exige que o aluno acrescente outros elementos. Além disso, tem aumentado a presença de imagens nas questõe da UNESP.

Em relação aos conteúdos, a prova apresenta uma ampla variação de temas, no geral, clássicos e recorrentes nos materiais didáticos. No entanto, alguns temas menos explorados foram abordados em questões nos últimos anos, como é o caso da questão sobre Revolução dos Cravos em 2014 e sobre a redemocratizaçao da Espanha franquista na prova de 2015, indicando a presença marcante de tópicos de História Contemporânea. De modo geral, há um equilíbrio entre temas de História Geral e História do Brasil, com alguma predominância de questões de História do Brasil, observada nos últimos dois anos.

A prova da UNESP não é uma prova que exige que o aluno memorize datas, nomes ou detalhes de processos históricos. Seguindo a tendência dos grandes vestibulares, as questões abordam aspectos mais amplos e esperam do aluno a contextualização dos episódios mencionados. Como exemplo, podemos mencionar a questão do ano de 2015 que apresenta uma charge representando Vargas (publicada em 1952) e solicita ao aluno a que está associado o apelido “pai dos pobres” dado a Getúlio. Sendo assim, o domínio de conceitos fundamentais relativos aos períodos históricos, associados à leitura atenta podem garantir o bom desempenho do aluno nessa prova.

A prova objetiva da UNESP no formato atual, adotado a partir de 2010, traz sete ou oito testes de Matemática por ano. Com poucas questões, não consegue cobrir todo o programa do Ensino Médio de Matemática, e também não tem muito costume de mesclar diferentes assuntos numa mesma questão, como a FUVEST, por exemplo, faz com mais frequência já desde a primeira fase.

Como em qualquer outra prova, os enunciados devem ser lidos com muita atenção, pois a capacidade de interpretação adequada deles sempre será uma habilidade necessária em qualquer questão. Uma facilitação que ocorre muitas vezes é o enunciado fornecer diretamente resultados ou aproximações para contas do exercício que tomariam muito tempo para serem feitas pelo candidato.

Os temas mais frequentes nessa primeira etapa do vestibular da UNESP têm sido equações polinomiais e suas raízes, funções exponencial e logarítmica, porcentagem, razão e proporção, análise combinatória e probabilidade. Pelo menos uma das questões de Matemática costuma trazer informações num gráfico ou numa tabela para que o aluno reconheça padrões de crescimento e decrescimento de uma certa grandeza em função de outra.

Em equações polinomiais, as relações de Girard (relações entre os coeficientes e as raízes) são bastante cobradas. Quanto às funções exponencial e logarítmica, é costume descrever no enunciado algum fenômeno que tenha evolução exponencial no tempo, e perguntar qual o tempo que leva para determinada situação acontecer. Como isso envolve isolar a variável que está no expoente da função, é nessa hora que o logaritmo se fará presente.

Em relação a outros temas, em Geometria Espacial aparece bastante o cálculo de volumes de sólidos. Já em Geometria Plana, podemos apontar os importantes teoremas (leis) dos senos e dos cossenos, além do teorema de Pitágoras, como temas recorrentes. Também já apareceram questões sobre sequências (progressões aritmética e geométrica), onde é sempre fundamental lembrar das estruturas do termo geral e da soma dos n primeiros termos.

A prova da Unesp de Conhecimentos Gerais contém 7 questões de múltipla escolha, a maioria delas sem muita complexidade de raciocínio e que não exigem uma capacidade de memorização alta. Os conhecimentos de Química Geral Básica são os mais exigidos nessa etapa do vestibular. É importante saber diferenciar fenômenos físicos e químicos, métodos de separação de misturas e ter domínio sobre os conceitos de número atômico, de massa, de nêutrons e de elétrons.

Além de Química Geral Básica, nos últimos anos a prova da Unesp tem cobrado com certa frequência os seguintes tópicos:

Eletroquímica: saber identificar reações de oxirredução, dominar as diferenças entre agente redutor e agente oxidante, cátodo e ânodo, pilhas e eletrólise

Tabela Periódica: as questões sobre esse tópico cobram em geral a identificação e diferenciação dos principais grupos da tabela e saber as principais características físicas e químicas de seus elementos

Equilíbrio Químico: é importante saber interpretar as reações químicas, através de suas constantes de equilíbrio e principalmente os fatores que causam o deslocamento do equilíbrio químico, segundo o princípio de Le Chatelier.

Entalpia de Reação: tópico cobrado em quase todos os anos na prova de conhecimentos gerais. É necessário ao candidato saber diferencias reações exotérmicas, endotérmicas e quais as características de cada tipo de reação.

Química Orgânica:Identificar funções orgânicas e as principais reações abordadas no ensino médio.

Na primeira fase a prova de inglês tem por estrutura a interpretação de texto, baseada no conjunto de conhecimentos exigidos pelo Parâmetro Curricular Nacional para o Ensino Médio.

O nível de dificuldade dos textos é médio, exigindo conhecimento enciclopédico de outras áreas do conhecimento – indo de ciências a cultura pop – sugere-se ao candidato atenção especial àqueles elementos textuais que facilitam a interpretação e compreensão textual (linkers, pronouns, vocabulary)

2ª FASE

A redação na Unesp é uma dissertação, e conforme orientação da própria Fundação para o Vestibular da Unesp, o candidato deve "atentar para o gênero da redação solicitado, que é uma dissertação. De acordo com o tema proposto, o candidato deve apresentar o problema, apresentar argumentos sobre este e fechar o texto concluindo coerentemente com os argumentos apresentados." Vale lembrar que o espaço para a redação na prova da Unesp é de 30 linhas. Assim, a dica é para que se desenvolvam muito bem poucos argumentos.

Um equívoco comum, que pode ocorrer em função do pouco espaço destinado à redação, é justamente a citação de vários argumentos sem um desenvolvimento adequado. A utilização do espaço da melhor maneira possível, fazendo um texto coeso, bem articulado, claro e que tenha uma discussão pertinente ao tema proposto, é fator crucial. Por isso, é importante fazer o projeto de texto, para evitar o risco de fazer um texto grande demais para o número de linhas disponível, e ter de "cortar" alguns trechos, perdendo a coerência.

A escolha de argumentos que deixarão "mais forte" a argumentação, e o desenvolvimento máximo desse recorte, procurando sair do senso comum, é requisito importantíssimo para uma boa avaliação.

A redação da Unesp tem apresentado temas dicotômicos, opondo duas opiniões contrárias, as quais o aluno deve trabalhar, não necessariamente eliminando uma ou outra, mas defendendo um ponto de vista que pode levar, sim, tanto um lado da questão como o outro em consideração em sua tese. Como coletânea, a Unesp já apresentou um texto curto, um texto mais extenso, dois textos (normalmente argumentativos); não há um trabalho de leitura extenso por parte do aluno, que, além de nos textos, deve apoiar-se nos conhecimentos que julgar necessários à sua argumentação. Já apareceram também textos literários e tirinhas ou charges. Os textos que compõem a prova de português, que costumam ser de temas semelhantes, também são explicitamente indicados como pertinentes à composição da redação e constituem parte da Coletânea.

Nos últimos anos, os temas variaram de mais abstratos a mais específicos, mas a tendência parece ser a dos temas voltados à compreensão dos sentimentos e comportamentos humanos, dos tipos de sociedade em que se inserem e os valores que dividem.

O vestibular da Unesp é composto por duas fases: a primeira, em que o candidato faz a prova de Conhecimentos Gerais, e a segunda, que dura dois dias consecutivos, com provas de conhecimentos específicos e uma redação. Todos os candidatos, independentemente do curso prestado, farão a prova de Linguagens e Códigos e uma redação no segundo dia.

Essa provaé composta por oito questões dissertativas, distribuídas a partir de seu apoio em ao menos dois pares de textos. Assim, percebe-se a valorização da intertextualidade: mais do que interpretar, o candidato deverá mostrar-se capaz de relacionar, das mais variadas formas, os diversos gênero textuais em foco. Essa é uma prova que permite ao candidato a reflexão interpretativa com base nos textos presentes.

Em 2014, as questões percorreram as três frentes da disciplina de Língua Portuguesa (Gramática, Interpretação de Textos e Literatura) de maneira muito clara e concentrada, uma vez que elas não são divididas em itens “a” e “b”, como outros vestibulares. Exigiu-se do candidato conhecimentos sobre sintaxe, efeitos de sentido de escolhas verbais e reconhecimento de recursos estilísticos como figuras de linguagem, além da própria interpretação.

Nesse vestibular, não são cobradas leituras obrigatórias, o que faz com que a prova de literatura seja bem diferente do modelo cobrado pelos vestibulares da USP e Unicamp. Mesmo sem a pré-determinação das obras que farão parte da prova, a realização desta se torna plenamente viável, uma vez que não serão solicitadas caracterizações específicas de um autor ou uma obra. O candidato que teve um bom preparo durante o ano enfrentará uma prova que é vista como tranquila e segue alternados os níveis fácil e médio das questões.

Com apenas três questões de Matemática em sua segunda fase, fica muito difícil estabelecer um padrão para essa etapa do vestibular da UNESP. O que parece mais típico aqui é privilegiar assuntos que não foram abordados na prova da primeira fase. Um caso extremo que ilustra bem isso aconteceu no vestibular de 2014, no qual não foi cobrada nenhuma questão de Geometria (Plana, Analítica, Espacial) na primeira fase, e depois na segunda fase foi o único tema presente: uma questão de Geometria Plana, uma de Geometria Analítica e uma de Geometria Espacial.

Acontece em quase todos os anos de pelo menos uma questão dessa prova dissertativa ser bem mais simples que várias questões da prova objetiva. Como já apontado na análise da primeira fase, a adequada leitura e interpretação do enunciado é sempre o primeiro passo para a resolução do exercício. Como se trata de uma prova dissertativa, aqui avalia-se ainda a organização e estruturação da resolução feita pelo candidato, que deve, sempre que possível, fazer uso da notação e da linguagem matemática para poupar tempo e espaço ao redigir a sua resposta.

Na prova de conhecimentos específicos de Geografia, a Unesp avalia a capacidade dos candidatos para analisar de forma crítica a relação sociedade-espaço no mundo contemporâneo.

Observando as provas de 2007 a 2012, é possível perceber que em todos os vestibulares estiveram presentes um número significativo de questões de geografia física tanto do Brasil quanto do mundo, as quais abordaram elementos de geologia e relevo, terremotos, clima, fenômenos climáticos de grande magnitude (furacões, por exemplo) além de vegetação e biomas. Importante ainda ressaltar que em muitas oportunidades a cartografia e seus elementos estiveram associadas a temas de geografia física e/ou humana. Vale ainda ressaltar que é possível perceber o viés ambiental presente nas provas, com questões sobre a relação homem natureza, bem como sobre os problemas ambientais que advém desta relação. Problemas atmosféricos, desertificação, poluição das águas, perda de biodiversidade, entre outros ganharam destaque nos últimos vestibulares. Em se tratando de questões político-econômicas, a prova em seus tem trazido questões vinculadas à divisão regional brasileira, à construção humana do espaço geográfico, incluindo questões sobre urbanização, população e indústria no Brasil. A agricultura também é um tema recorrente para as provas deste vestibular.

Os temas geopolíticos internacionais estiveram sempre ligados a temas de geografia tradicional. Como exemplos, temos os temas das correntes marítimas e sua influência no microclima de Londres e de outras regiões do mundo, a malária, a desertificação na Mongólia e furação na América do Norte. As questões exigem uma interpretação crítica de textos, tabelas, mapas, gráficos ou figuras, fato que garante ao candidato um bom desempenho na prova.

A prova tem trazido um número equilibrado de questões de Geografia Geral com Geografia do Brasil, porém pendendo mais para esta ultima, que leva pequena vantagem mas com questões que em geral apresentam uma abordagem bastante conceitual.

As questões de Geografia Geral privilegiam algumas temáticas: Economia (PIB associado a indicadores sociais; comércio mundial; fluxos e redes; recursos naturais); Física (processos erosivos e fluviais; circulação atmosférica; relação clima, relevo, vegetação). Não podemos ignorar também questões técnicas, como as cartográficas.

A prova de conhecimentos específicos da Unesp por ser discursiva exige algumas habilidades já expostas na avaliação de outros vestibulares, como por exemplo, a interpretação de trechos de documentos e textos historiográficos, identificando contextos e eventos referidos. Presente em quase todos os anos, questões que exigem a reflexão sobre a realidade brasileira buscam o diálogo entre passado e presente e a sólida argumentação que se afasta do senso comum e demonstra a criticidade tão vital para os profissionais da área de humanas.

A prova de conhecimentos específicos da UNESP é composta por quatro questões de História, sendo geralmente duas relativas a tópicos de história geral e duas de história do Brasil. Esta prova privilegia a interpretação, tanto de textos – documentos históricos, filosóficos - quanto de imagens – charges, obras artísticas. Não obstante, ela exige um nível maior de conhecimentos prévios que a prova de conhecimentos gerais. Espera-se que o aluno tenha a habilidade de contextualizar documentos históricos, associando-o ao seu contexto de produção ou ao período a que faz referência. Sendo assim, as questões solicitam a identificação e caracterização de elementos de determinado período histórico a partir de textos e imagens.

Ocasionalmente, a prova pode solicitar ao aluno uma análise de interpretações historiográficas divergentes sobre determinado tema, como no caso da questão da prova de 2012 sobre o movimento ludista. Estas questões contrapõem duas ou mais leituras discordantes sobre um evento histórico, competindo ao aluno a habilidade de interpretá-las e analisar suas diferenças e nuances.

Há uma valorização dos aspectos econômicos, políticos e sociais. No entanto, são comuns questões envolvendo a cultura, sendo estas com um maior grau de dificuldade (especialmente aquelas que trabalham com produções artísticas). As análises e comparações formais de obras de artes ou arquitetônicas são freqüentes, como na prova de 2011, que solicita uma análise de características que demonstram o rompimento da pintura impressionista com a pintura realista. O estabelecimento de conexões entre imagem e texto também é comum, exigindo do candidato a capacidade de trabalhar com linguagens diferentes.

Vale destacar a importância do conhecimento sobre correntes artísticas sem a presença de imagens para análise. Por isso vale a pena ter em mente as principais linhas artísticas, literárias e de pensamento e os contextos em que elas emergiram. Esta habilidade lhe ajudará a responder questões e também fornecerá subsídios para a resolução de perguntas referentes a ideologias e na identificação de correntes filosóficas, pontos frequentemente abordados pelo vestibular da Unesp.

A conexão entre eventos que ocorreram no Brasil e seu contexto mundial é importante. Um exemplo dessa tendência é a questão de 2011 que solicita a associação entre o fenômeno da radicalização política na década de 1930 no Brasil com o panorama internacional. Além disso, há uma preocupação com conceitos no vestibular da Unesp. Várias questões trabalham exatamente com definições, como por exemplo a questão sobre o significado do termo constituinte no vestibular de 2006.

Apesar da ampla variação de temas, conteúdos clássicos ainda predominam na prova de história: ditadura militar no Brasil, Iluminismo e Era Vargas são alguns exemplos, sendo que este último tema esteve presente em 50% das últimas quatro provas. Vale citar também que matérias pouco usuais em outros vestibulares aparecem com relativa freqüência na prova de conhecimentos específicos, é o caso da temática sobre a descolonização, devido às novas diretrizes para o ensino de história da África.

Assim como nos outros vestibulares dissertativos procure elaborar respostas organizadas, completas, claras e objetivas. A escrita é fundamental para que o candidato alcance a pontuação máxima, por isso é interessante escrever com cuidado, da mesma forma que você escreveria uma redação, de forma coesa e com uma boa argumentação.

As questões dissertativas envolvem a identificação de um conceito e sua explicação. Todos os anos há uma questão com um texto que deve ser interpretado na resposta. Nos últimos 3 anos, genética, ecologia e citologia foram os temas abordados ocorrendo uma questão de cada assunto por prova.

Genética aparece mais conceitualmente, abordando temas como transmissão hereditária, fluxo gênico, mutação, tipos de herança e genoma.

Ecologia teve foco em níveis tróficos, crescimento populacional e biomas, exigindo do aluno a elucidação de conceitos como cadeia alimentar, potencial biótico e resistência ambiental junto com a interpretação de textos e gráficos.

C

itologia prioriza os processos de obtenção de energia e transporte de substâncias. Nas provas recentes, os conceitos de fermentação e respiração foram requeridos, assim como suas peculiaridades.

Apesar da forte preferência observada nas últimas provas por esses três assuntos, outros temas, como fisiologia humana e botânica, também podem aparecer, tanto pelo peso que possuem na primeira fase, quanto por estarem intimamente relacionados aos temas preferidos.

A prova de conhecimentos gerais de física da UNESP apresenta um nível de complexidade não muito elevado. Seu objetivo é selecionar candidatos a diversas áreas de interesse. É uma prova feita para todos os candidatos, não privilegiando os candidatos aos cursos de Exatas. Apresenta uma grande porcentagem de questões conceituais. Desde 2010, a UNESP mantém, em Física, uma tendência assim estruturada:

Cinemática – Movimento circular, queda livre e movimento uniforme associados à análise de gráficos tem sido a forma com que a Unesp aborda este assunto nos últimos anos. Representa cerca de 15% dos assuntos abordados.

Dinâmica – Alguns assuntos raramente têm caído, tal como plano inclinado e máquina de Atwood, entretanto Dinâmica é o assunto com maior incidência na primeira fase se considerarmos que é cobrada no meio de outras questões.

Trabalho e Potência mecânica – Assunto que tem sido retomado depois de passado anos sem ser cobrado.

Energia – Nos últimos três anos este assunto foi cobrado duas vezes, mudando a tendência anterior de não ser cobrado.

Impulso e Quantidade de movimento - Não foram cobradas questões abordando o assunto nos últimos 3 anos, embora nos anos anteriores questões sobre o tema tenham sido recorrentes.

Estática e Hidrostática – Pelo menos uma questão de hidrostática foi cobrada nos últimos três anos. Estática tem sido abordada de maneira mais simples, geralmente não envolvendo torque, apenas forças.

Termometria e calorimetria – Assunto que tem sido cobrado com frequência em todas as provas dos últimos anos.

Óptica - Formação e as características das imagens (real ou virtual, maior ou menor, invertida ou direita) conjugadas por espelhos e lentes esféricas são cobradas frequentemente na prova de física. Também temos que questões envolvendo refração da luz cobrando do candidato o traçado do caminho do raio de luz através de um meio (prisma, lente, gota de água) aparecem com certa frequência. Em questões deste tipo, pode surgir a possibilidade de o raio de luz sofrer uma reflexão total. Desta forma, o candidato deve atentar-se para as condições de ocorrência da reflexão total. Também é recomendado que o candidato lembre-se das anomalias da visão e suas possíveis correções pelas lentes. No ano internacional da Astronomia (2009) foi cobrada questão relacionada ao tema, por isso é possível que este ano, por ser comemorado 25 anos do telescópio espacial Hubble e o ano internacional da luz, sejam cobradas questões envolvendo não só ótica mas também estes temas.

Ondulatória - A incidência de fenômenos ondulatórios na prova de conhecimentos gerais da UNESP diminuiu consideravelmente, apesar de ser um assunto recorrente nas provas mais antigas.

Eletrodinâmica - Apenas uma questão foi cobrada em 2013.

Eletrostática - O tema não tem sido cobrado nos últimos anos.

Eletromagnetismo - No que tange ao Eletromagnetismo, a UNESP explora a interação entre uma partícula eletrizada e o campo magnético (força de Lorentz), principalmente o caso em que a partícula penetra perpendicularmente ao campo magnético. Força magnética em um condutor retilíneo também é uma boa pedida. Outra forte tendência na UNESP é o fenômeno da indução eletromagnética, onde o aluno deverá usar a Lei de Lenz para determinação do sentido da corrente elétrica induzida

A prova da Unesp de Conhecimentos Gerais contém 7 questões de múltipla escolha, a maioria delas sem muita complexidade de raciocínio e que não exigem uma capacidade de memorização alta. Os conhecimentos de Química Geral Básica são os mais exigidos nessa etapa do vestibular. É importante saber diferenciar fenômenos físicos e químicos, métodos de separação de misturas e ter domínio sobre os conceitos de número atômico, de massa, de nêutrons e de elétrons.

Além de Química Geral Básica, nos últimos anos a prova da Unesp tem cobrado com certa frequência os seguintes tópicos:

Eletroquímica – saber identificar reações de óxido redução, dominar as diferenças entre agente redutor e agente oxidante, cátodo e ânodo, pilhas e eletrólise

Tabela Periódica – as questões sobre esse tópico cobram em geral a identificação e diferenciação dos principais grupos da tabela e saber as principais características físicas e químicas de seus elementos

Processos e reações químicas comuns nas indústrias químicas – normalmente questões sobre processos industriais são acompanhados das reações envolvidas. Cabe ao candidato interpretar a reação e os compostos envolvidos.

Ácidos e Bases – para resolver questões desse tipo é necessário saber o conceito de óxidos ácidos e básicos, faixas de pH para ácidos e bases, principais compostos que se encaixam nessa definição, Ka e Kb e reações químicas de neutralização.

Cinética Química – é cobrado os principais conceitos envolvidos nesse tópico, como influências diversas na velocidade de uma reação química, a exemplo de energia de ativação, concentração de reagentes, etapa lenta e etapa rápida em uma reação não-elementar entre outros.

Entalpia de Reação – tópico cobrado em quase todos os anos na prova de conhecimentos gerais. É necessário ao candidato saber diferencias reações exotérmicas, endotérmicas e quais as características de cada tipo de reação.

Química Orgânica – Identificar funções orgânicas em diversas estruturas, na maioria das vezes.


BOLSAS DE ESTUDOS


Logo ELITE PRÉ-VESTIBULAR Logo ELITE PRÉ-VESTIBULAR

Informe-se aqui

CADASTRE-SE E RECEBA DICAS PARA O ITA EM SEU ENDEREÇO

Atenção: Edição limitada.

Cadastre-se aqui


siga o elite

Rua Luís Otávio, 2535, Mansões Santo Antônio - Campinas - SP