Unesp oferece Engenharia Aeronáutica pela primeira vez

Atualizada: 31 de Mar/2016

Fonte: Site UNESP

Área necessita de pessoal qualificado em diferentes setores

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) já divulgou o calendário do Vestibular Meio de Ano 2016, com oferta de 360 vagas em 9 cursos das áreas de exatas e biológicas, todas para ingresso em agosto.
A novidade é o curso de Engenharia Aeronáutica da Unesp, Câmpus de São João da Boa Vista. Com duração de 5 anos, receberá 40 alunos por ano. O curso contará com modernos laboratórios nas diferentes áreas e um corpo docente altamente qualificado e envolvido com ensino, pesquisa e extensão.
 
Com uma formação sólida, os egressos do curso deverão encontrar um mercado de trabalho amplo, podendo atuar não somente no setor aeronáutico, mas também em outros setores industriais que envolvam mecânica, eletrônica e materiais. Outro caminho é o setor acadêmico, como universidades e centros de pesquisas.

As atividades industriais no setor aeronáutico não param de crescer no Brasil e no mundo – e o Engenheiro Aeronáutico é fundamental nesse processo. No Brasil, o setor é conhecido por ter uma das mais importantes indústrias do mundo – a Embraer. Porém, outras empresas têm surgido, e com isso inúmeras possibilidades.

Em suas atividades, o engenheiro deve considerar sempre a ética, a segurança, a legislação e os impactos ambientais. A cidade de São João da Boa Vista tem atraído muitos investimentos e tem sido uma ótima opção para o setor aeronáutico, pois está próxima de grandes centros e de polos industriais importantes, como São José dos Campos, São Paulo, Campinas, São Carlos e Ribeirão Preto. A cidade já conta com empresas que produzem aviões e buscam excelência no setor aeronáutico.

A indústria aeronáutica necessita de pessoal qualificado em diferentes setores, como mecânica, eletrônica, telecomunicações, controle, automação e, principalmente, aeronáutica. Na sua formação, o engenheiro aeronáutico adquire sólidos conhecimentos em matemática, física, mecânica, materiais, eletrônica, telecomunicações, controle, aerodinâmica, estruturas aeronáuticas, motores, mecânica e sistemas de voo, instrumentação para aviação etc.
 
O engenheiro aeronáutico deverá ser capaz de projetar aeronaves com todos os seus sistemas, que incluem, dentre vários: sistemas de controle de voo (mecânicos, hidráulicos e eletrônicos); instrumentação; sistemas de comunicação; sistemas elétricos; instrumentos de voo; hélices; motores; etc.
 
Porém, o projeto de aeronaves é apenas umas das áreas de atuação do engenheiro aeronáutico, que também poderá coordenar e supervisionar equipes de trabalho no desenvolvimento de sistemas aeroespaciais; realizar estudos de viabilidade técnica e econômica no setor aeronáutico e aeroespacial; coordenar e executar serviços de manutenção; efetuar vistorias; realizar perícias e avaliações; e emitir laudos e pareceres.
  
Um engenheiro aeronáutico deve ser capaz de criar novas aplicações e novos conceitos. No curso, isso será estimulado não somente através de uma formação acadêmica de qualidade, mas também através de estágios, cursos específicos de empreendedorismo e pesquisa. Participações em intercâmbios acadêmicos, projetos de extensão, projetos de iniciação científica e atividades de empreendedorismo serão incentivadas ao longo do curso.

O período para inscrição com pagamento da taxa integral, no valor de R$ 155,00, será de 11 a 29 de abril. O cadastramento será feito pela página www.vunesp.com.br. O período para pedido de redução de 50% da taxa ou isenção para socioeconomicamente carentes será de 4 a 11 de abril.

O novo curso
O novo curso representa o último passo de um ciclo iniciado em 2012, quando a Unesp (Universidade Estadual Paulista) criou onze novos cursos de Engenharia, com implantação escalonada ao longo dos anos de 2013, 2014,  2015 e 2016.

Os custos do Programa de Expansão da Graduação, que se referia a esses onze cursos de Engenharia foram de R$ 38,5 milhões. Vale ressaltar que o valor destinado a esse programa foi obtido pelo acordo entre Governo do Estado de São Paulo e a Unesp, onde a Secretaria Estadual da Saúde assumiu os custos de manutenção do Hospital das Clínicas de Botucatu, e o repasse feito pela Universidade ao hospital, também gradativamente, foi anexado ao orçamento da universidade, e aplicado nos novos cursos, conforme Lei Complementar no 1.177, de 11 de junho de 2012.

Em 2013, a Unesp iniciou os cursos de Engenharia de Telecomunicações (São João da Boa Vista/40 vagas); Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia (Araraquara/40 vagas); Engenharia Química (Araraquara/40 vagas); Engenharia Agronômica (Dracena/40 vagas); Engenharia de Pesca (Registro/40 vagas); Engenharia Ambiental (São José dos Campos/40 vagas).

Para o Vestibular 2014, foram oferecidos cinco cursos novos: Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia (Botucatu/50 vagas); Engenharia de Biossistemas (Tupã/40 vagas); Engenharia de Energia (Rosana/40 vagas); Engenharia de Produção (Itapeva/40 vagas) e

A implantação do décimo-primeiro novo curso de Engenharia ocorrerá em agosto de 2016, no município de São João da Boa Vista.

Fora da área de Engenharia, a Unesp criou em 2013 os cursos de Meteorologia/noturno (Bauru/40 vagas/bacharelado); e Ciências Biológicas/noturno (São Vicente/40 vagas/licenciatura); e, em 2014, o curso de Artes Cênicas (São Paulo/30 vagas/bacharelado).

Atualmente, a Unesp não dispõe de recursos financeiros próprios que possibilitem a implantação ou encampação de outro curso novo. A Unesp ressalta que toda expansão depende da garantia de recursos orçamentários do governo do Estado para sua implementação.

Fonte:

www.unesp.br

siga o elite

Rua Luís Otávio, 2535, Mansões Santo Antônio - Campinas - SP